Voo Rasante

sábado, abril 22, 2006

EM BUSCA DO SUPER AMX


A exemplo de vários aviões militares pelo mundo e principalmente dos Americanos e dos Franceses, que a cada década tem uma nova edição, ou modelo apresentado para as suas forças aéreas e mercado mundial militar, por que não no Brasil, começar a desenvolver um avião já existente, que é o Ítalo Brasileiro AMX?

Para quem não conhece, o AMX, é um avião de ataque, desenvolvido em parceria entre Brasil e Itália, através das empresas: Alenia, Aermacchi e Embraer, que em 1989 começaram a entregar as primeiras unidades para as forças aéreas.

Diante de uma nova ordem mundial, onde agora temos um Cherife, e quer decidir por todos o que cada pode ou não fazer, e ainda por cima se acha no direito de invadir que quiser, não dá para ficar vendo as forças armadas, a cada dia piores do que o ano anterior.

Vejo que se faz necessário voltar a investir na indústria bélica no Brasil, assim como tínhamos no passado a Engesa, mas ainda hoje temos algumas, mas falta o incentivo de investimentos através das forças armadas.
O ganho que se pode ter com o desenvolvimento de novas tecnologias nesta área, que depois pó ir para o mercado civil, além de pelo menos um pouco de independência de compras externas é muito importante.

Diante de uma plataforma razoavelmente moderna que é o caso do AMX, acho que nossa Força Aérea e Marinha através da sua aviação embarcada, devem se unir para o desenvolvimento do Super AMX, assim como foi no caso do Tucano, que foi desenvolvido, além de ter crescido e virou o Super Tucano, que já é um sucesso de vendas.

Acima: Embraer Tucano

Acima: Embraer Super Tucano

A idéia é criarmos uma nova versão, mais moderna e capaz, para suprir nossa força aérea a ainda sim, desenvolver a versão naval para equipar o porta aviões São Paulo e quem sabe os frutos porta aviões Brasileiros.
Um caso semelhante também, é o F-18 Hornet, que foi desenvolvido e criaram uma versão maior e mais moderna, que virou o F-18 Super Hornet.

F-18 Super Hornet, em seu salto para o sucesso.

Além dos exemplos Americanos, também gosto de me basear nos Franceses, que dentro do possível procuram desenvolver o máximo possível dentro de casa e ainda vender para o mercado mundial. Quer melhor exemplo de vendas mundiais do que o Mirage?

Com uma participação exemplar na guerra dos Bálcãs, os AMX Italianos surpreenderam a todos com sua agilidade, confiabilidade e capacidade de ataque, e com resultados até superiores de ataque a aeronaves de teoricamente maior capacidade como o F-16.
AMX da Força Aérea Italiana.

Nos vamos pegar o Bonde da história e voltar a desenvolver o país, ou vamos ficar vendo o resto do mundo se desenvolver e nosso país discutindo CPI?
Se temos uma oportunidade na mão, temos que aproveitar e isso tem que ser logo!!.
Será que o AMX pode dar a volta por cima?

Base aérea Brasileira com os AMX enfileirados.

Em simuladores de vôo usados disponíveis no mercado, o AMX Italiano aparece escoltando aviões Americanos.

Para quem gosta de montar miniaturas assim como eu, já existe no mercado o AMX em escala 1:72.

Esdras Franco

1 Comments:

  • Parabéns por essa matéria Sr Esdras Franco

    Penso que o brasil tem perfeitas condição de produzir um bom caça.
    Somos muito criativos para fabricar armamentos que ja derrubaram ate caça invisível de 5º geração americana na guerra do Iraque.
    Juntos com Italianos desenvolvemos o caça AMX. Esses mesmo com participação exemplar na guerra dos Bálcãs, os AMX (Italianos) surpreenderam a todos com sua agilidade, confiabilidade e capacidade d ataque, e com resultados até superiores d ataque a aeronaves teoricamente d maior capacidade.

    Por isso acho que o governo deveria gastar esse dinheiro desenvolvendo nosso próprio caça.

    By Blogger Luiz Motta, at sex jan 08, 11:46:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home